All posts in WEB

Salve galera,

Agora vamos conhecer os recursos de configuração da Farm. Aqui vale ressaltar uma coisa, o intuito dos artigos não é detalhar tudo o que podemos fazer, mas sim realizar a configuração de uma Farm simples que atenda a maioria dos casos. Então deste ponto em diante alguns itens não serão exemplificados até por que não atenderia a expectativa de todos. Caso se torne necessário podemos criar alguns artigos especificos para cada item.

Vamos lá,

Read more


Salve, salve galera.

Bom até agora já temos nossa “Server Farm” criada. Vamos partir do principio que não temos nenhum servidor adicionado na nossa farm e queremos adicionar um, lembrando que esse processo pode ser feito com a Farm no ar em produção o que garante que em casos de sobrecarga conseguimos dividir a carga sem problemas.

Para isso vamos até nossa farm , abaixo dela temos um item “Server”, basta clicarmos com o botão direito e clicar em “Add Server”.

Add Server

Read more


Salve, salve galera,

 

Hoje vamos ver como criar nosso “Server Farm”, lembrando que podemos entender uma “Server Farm” como um conjunto de servidores que vão trabalhar em conjunto para fazer esse balanceamento de carga. Aqui podemos ter servidores locais e remotos, trabalhando em portas diferentes com sistemas operacionais diferentes, desde que o que foi requisitado esteja com a mesma estrutura em todos (é interessante termos a mesma estrutura de aplicações, se possível, igual em todos os servidores, para facilitar a administração).

Tendo essa definição da Server Farm vamos por a mão na massar, para criarmos uma Farm basta clicarmos com o botão direito sobre “Server Farms” e depois clicar em “Create Server Farm”.

Create Server Farm

 

Read more


Salve galera,

Dando continuidade ao nosso problema, agora vamos ver o que precisaremos ter para podermos brincar com esse ambiente.

Vamos lá, temos um servidor que será a porta de entrada para todas as requisições (SERVCORPAPP). É exclusivamente nesse servidor que vamos mexer, partindo do principio que, nos outros servidores temos o IIS instalado e a ou as aplicações respondendo.

O primeiro passo é baixarmos o Web Plataform Installer (que salva a vida muitas vezes). Segue o Link para download.

Depois de instalado vamos procurar pelo Application Request Routing (ARR) que é a nossa feature que irá gerenciar as requisições.

ARR

 

Depois de instalado podemos observar que ele adiciona um item na estrutura original do IIS, como podermos observar abaixo. O ARR cria uma estrutura chamada Server Farms.

Server Farms

 

Podemos entender uma “Server Farm” como um conjunto de servidores que vão trabalhar em conjunto para fazer esse balanceamento de carga. Aqui podemos ter servidores locais e remotos, trabalhando em portas diferentes com sistemas operacionais diferentes, desde que o que foi requisitado esteja com a mesma estrutura em todos (é interessante termos a mesma estrutura de aplicações, se possível, igual em todos os servidores, para facilitar a administração).

Bom galera, por agora é só… nos próximos artigos iremos começar a configurar nosso ambiente.

 

Até a próxima.


Salva, salve galera,

Como bons desenvolvedores que somos sempre precisamos de mais e mais recursos para conseguir desenvolver nossas maravilhosas aplicações, acontece que, nem sempre, recursos e APIs que utilizamos são totalmente documentadas ( e não estou falando de APIs e recursos open ou free e sim PAGOS) e nem encontramos facilmente exemplos na internet.

Acontece que sem essa documentação fica difícil extrairmos o máximo do recurso (não temos ainda bola de cristal para essa atividade), como nem tudo são flores, as vezes precisamos buscar uma forma de “Gerar um documentação” de determinados recursos.

Um dos maiores problemas é descobrir os métodos que temos um determinado objeto para poder usa-lo da melhor maneira (e não reinventar a roda, escrevendo métodos que ele já possui).

O trecho abaixo faz essa tarefa para nós via para objetos javascript.

function getMetodos(objeto) {
  var result = [];
  for (var id in objeto) {
    try {
      if (typeof(objeto[id]) == "function") {
        result.push(id + ": " + objeto[id].toString());
      }
    } catch (err) {
      result.push(id + ": Inacessível");
    }
  }
  return result;
}

E para vermos o seu resultado, chamamos o método:

alert(getMetodos(document).join("n"));

Onde document é o objeto da qual queremos conhecer os métodos.

A imagem abaixo mostra um trechinho do resultado dessa chamada.Resultado getMetodosBom pessoal, espero que esse post ajude vocês em situações de “desespero”.

Até a próxima.